terça-feira, 21 de agosto de 2007

Navegar é preciso...

VIVER NÃO É PRECISO

A preguiça é a maior amiga do homem, um pecado mortal, uma morte sem dor, uma dor sem remédio, um remédio fatal, um fato sem fundo, um fundo sem fé, uma fé com limites, um limite irrestrito, um resto de pão, um rasto no chão, um rosto na multidão, um traço na pesquisa, um troço qualquer, qualquer coisa que não seja cara, um coro que cante bem baixo, um couro que não dê sapato, um sapato de salto alto, os altos e baixos que ladeiam a vida. A vida é uma série de sérias circunstâncias que a gente não pode levar a sério. Pelo menos não muito. O muito sem Deus é nada. Nada desvia a trajetória de uma bala, já dizia o biógrafo do coronel Adibe. Tenho preguiça de ler, de olhar, de crer, de fazer, de pensar, de sair, de ficar, de morrer. A preguiça é uma doença. A diferença é que a doença dói. Dói no peito, no pé, na cabeça. A preguiça é pensa, não pensa nem com pinça, não pinça sequer um tento, não tenta sequer um pranto, não quebra nem mesmo um prato, não pinta nem mesmo o preto, não confere o maior preito, não consegue o menor pleito, não pleiteia o que é possível, não pranteia o que perdeu. Eu ainda morro disso.

Um comentário:

Valdir Dala Marta disse...

Oi, Sérgio Cruz! Me considero seu fã, e tenho acompanhado a sua trajetória político-autoral-humorística. Frequentemente assistia seu programa da tarde na TV Regional. Li o seu livro "Sangue de Herói", muito bem escrito e documentado, embora ache que o título não ficou muito bom, não dando idéia do que foi realmente aquele paulista assassinado. Ao meu ver ele arriscou demais a sorte, inflando até o desvario a sua "confiança básica no mundo" (como os jovens motoqueiros da nossa cidade, que têm como artigo de fé que os motoristas sempre compensarão a sua manobra louca). Quanto ao seu blog, gostaria de vê-lo iniciar, nesta cidade, ou neste Estado, um movimento cultural. Estimule uma rede de blogs políticos-culturais-existenciais sul-matogrossenses! Cultura (a verdadeira, não todo mundo ligado a Rede Globo e ignorando o seu vizinho) se faz com intercâmbio, de experiências, idéias, meios, mensagens, etc. Quanto a sua idade, você está na flor da própria, rapaz. Como eu, que vou chegar a 61 em novembro.