sexta-feira, 7 de março de 2008

Aplicáveis

MANDANDO E CADUCANDO
As nuvens dançam no céu, ora gente ora animal, ora animadas ora sombrias, ora sombras ora escombros, escambras e estáveis, estazadas ou agitadas, ajeitadas ou malvestidas, malquistas e aclamadas, acamadas e ilesas, ilegíveis e decifráveis, nem infláveis nem vazáveis, vazias e replenas, replicadas e incontestes, incontáveis e limitadas, limítrofes ou imensuráveis, imemoriais e relembráveis, relentadas ou enxutas, enxurdadas e asseadas, assecladas ou aquosas, aquisitivas e indisponíveis, nem indispostas nem arrojadas, nem ajoujadas nem desobedientes, ora desobrigadas ora submissas, subnutridas ou saciadas, antes sacíferas depois femínias, fementidas e inocentes, inóquas ou implacáveis, ora implantadas ora extraídas, hoje estrábicas amanhã visionárias, antes vislumbráveis depois deslumbradas, deslustradas e instruídas, destruídas ou reavidas, ora redimidas ora apenadas, agora depenadas outrora reparadas, antes repartidas depois adicionadas, aditivadas ou comuns, comungadas e anatematizadas, ora analfabetas ora eruditas, eruptivas e desativadas, desatinadas ou lúcidas, ludibriáveis e despertas, despicadas hoje amanhã reatadas, reativadas e inativas, inaudíveis ou retumbantes, retrusas agora outrora na berlinda, berloques às vezes outras nudezas, miudezas e por atacado, atacoadas ou perfeitas, ora perfiladas ora dispersas, hoje depressa amanhã devagar, divagantes ou pragmáticas, praguejadas e benditas, bendizentes antes depois malditosas, maldotadas de dia à noite formosas, famosas ou fechadas, fichadas e anônimas, anonadadas ou reedificadas, recontadas às vezes sempre totais, totalitárias e democráticas, démodés e atuais. Meu Deus, elas tomaram conta do mundo.

Nenhum comentário: